Menu

Solenidade de Santa Elisabete e a Festa do Beata Maria Luisa, 2014

"Foi a fé que ordenou a Santa Elisabete confiar seu destino mutável ao Divino Mestre. Sua vontade tornou-se o instrumento Vulnerável da vontade de Deus." (Edith Stein) Queridas Irmãs, Caros Membros da Comunidade Apostólica de Santa Elisabete,

Em dias de novembro, como todos os anos olhamos em direção a nossa Padroeira Santa Elisabete e Beata Maria Luísa. Estas duas mulheres, apesar da passagem dos anos sempre muito claramente e explicitamente mostram o caminho, que temos para percorrer. Aquilo que as uniu e levou para os picos de santidade, é extremamente fé forte e viva, da qual fluiu sua profunda confiança à Providência Divina e fiel cumprimento da vontade de Deus.

Olhando para Santa Elisabete podemos dizer, que ela possuía um temperamento vivo e abordagem à vida cheia de alegria, e abençoada com muitas habilidades, com vontade envolvia-se nas tarefas diárias. Como uma esposa amorosa e feliz mãe de três filhos, ela podia sentir a verdadeira felicidade neste mundo. No entanto, ela sabia que Deus a chamava para algo mais, para compartilhar o amor com os outros, para levar ajuda aos mais desprezados e se inclinar sobre os enfermos cuidando de suas feridas. Para a duquesa da Turíngia, não foi uma tarefa fácil, mas possível graças ao fato de que hauria força do amor de Deus e de uma vida espiritual profunda. O desejo de Elisabete era "moldar sua vida assim, que se tornasse agradável a Deus, por este fim, lutando com própria natureza - aspirava" (Ir. I. Adamska). Elisabete aproveitava toda a oportunidade, para estar na presença de Deus e com atenção ouvir o misterioso convite para cooperação. Deixou se conduzir por Deus submetendo a sua vontade a vontade Dele e por isso podia confessar: "não sei pedir a Deus algo diferente a não ser que se cumpra a Sua vontade".

Embora o mundo não entendesse o caminho que ela abraçou, no entanto Santa Elisabete não se submeteu as opiniões humanas. Foi capaz de dispensar o deleite da vida na corte para realizar o plano de Deus, que Ele mostrou-lhe na oração e através do diretor espiritual Conrado de Marburgo, a qual obedecia em tudo. "No seu guia, dado a ela e não por ela escolhido, ela viu o mensageiro de Deus. Suas palavras anunciavam a ela a vontade de Deus mais confiavelmente do que a voz do coração dela” (Ir. I. Adamska). Vivendo desta maneira Elisabete deu prioridade em sua vida à vontade de Deus, o que ficou evidente em seu serviço todos os dias. Seu olhar de fé para o Cristo sofredor fazia com que queria estar próximo dos pobres e necessitados, a quem serviu com amor. Ela sabia que Cristo não esperava dela grandes palavras, mas o agir concreto dedicado para o bem dos outros.

A fonte de sua grande generosidade aos necessitados era uma fé forte, que "irradiava e tornava eficazes as palavras de consolo, com quais desejava fortalecer os desanimados e infelizes, que vinham a ela pedindo ajuda. Sendo diante de Deus sempre generosa, alegrava-se com a liberdade de pensamento, clareza de opinião e serenidade do espírito" (Ir. I. Adamska).

Neste mês olhamos não apenas para Santa Elisabete, mas também para a personagem da Beata Maria Luísa, cuja vida foi um incessante amadurecimento na fé em Deus, a quem amou acima de tudo e a quem procurou servir. Nela vemos a atitude de grande preocupação pelo crescimento espiritual e fiel cumprimento da vontade de Deus, que foi para ela grande chamado. A Beata Maria Luísa tinha uma personalidade forte, a habilidade natural para agir e perseverança nos propósitos, mas a sua humildade fazia de que em tudo ela se sentia totalmente dependente de Deus. Em diversas situações e momentos da vida, dizia com confiança: "Bom Deus guiará tudo o melhor" (Beata Maria Luísa, 22. VI. 1870) e com gratidão aceitava tanto o que era bom, como aquilo, o que era difícil e doloroso. E estes momentos difíceis não faltavam na vida dela. Uma vida espiritual profunda que o levou, inspirava-na semelhantemente como a Santa Elisabete, para a atividade apostólica cheia de dedicação, fortalecia e acresentava a coragem para empreender numerosas iniciativas em prol dos doentes e necessitados.

Tanto Santa Elisabete, como também a Beata Maria Luísa nos convocam par cuidar da vida espiritual e cumprimento com fé da vontade de Deus, que se manifesta na Palavra de Deus, nos ensinamentos da Igreja, em nossas Constituições, nas palavras dos superiores e em vários acontecimentos do dia. Também hoje Deus quer nos falar, mas nós temos que permitir a Ele e criar as condições para isso. Quando vamos ouvir a voz Dele, então Ele irá indicar o que espera de nós e como podemos fazé-lo. È claro, a vontade de Deus não recebemos em depósito e uma única vez por toda a vida. O Senhor Deus incessantemente direciona para nós novos desafios. Ele nos capacita a uma adequada leitura de Sua vontade, mas por outro lado, espera também o nosso engajamento pessoal.

Vivenciando esses dias nossa festa congregacional nos perguntarmos: Como eu, em minha vida cotidiana tento realizar a vontade de Deus? Aceito as minhas responsabilidades, as decisões dos outros, da comunidade e dos superiores com a paz no coração, otimismo, ou eles despertam em mim insatisfação, oposição, provocam a discussão? Como reajo quando os comandos dos outros não concordam com os meus planos, aruinam as minhas convicções, hábitos, exigem esforço, abrir mão de algo, "o que sempre foi, ou deveria ser"? Estou sempre obediente a Deus? Como realizo o meu voto de obediência? Com ânimo assumo a labuta da missão apostólica? Sou capaz de compartilhar a fé que tenho em meu coração?

Nossa tarefa é o cuidado pelo constante crescimento espiritual, por isso devíamos abrir seus corações e deixar, que Deus em nós e através de nós possa agir, para fazer conosco o que Ele quer, embora às vezes isso seja contra a nossa vontade. Em tais situações, é preciso ter uma grande fé e ser capaz de deixar o seu "eu" confiando que Deus vê mais e mais longe, Ele sempre quer o nosso bem. Olhando para a pessoa de Santa Elisabete, que humanamente falando-perdeu a vida, porque perdeu tudo - marido, família, riqueza e saúde; podemos ver que de verdade ganhou muito mais - alegria, paz interior e santidade.

Queridas Irmãs, Caros Membros da Comunidade Apostólica de Santa Elisabete, desejamos a nós mesmos, que entremos cada vez mais em vivo relacionamento pessoal com Deus e a exemplo de Santa Elisabete e da Beata Maria Luísa de bom grado e alegremente realizemos a nossa vocação, levando o alívio, compaixão e conforto lá, onde nos envia a Providência Divina.

Conectando-me espiritualmente na vivência da nossa festa, envio em nome das Irmãs Conselhieras, das Moradoras da casa geral e em meu próprio, muitas saudações afetuosas,

Entregue ao Senhor
Madre Geral M. Samuela Werbinska

 

Roma, Solenidade de Santa Elisabete e a Festa do Beata Maria Luisa, 2014.

KONTAKT

DOM GENERALNY 
Zgromadzenia Sióstr Św. Elżbiety
Casa Generalizia delle Suore di S.Elisabetta
via Nomentana 140,
I - 00162 R O M A
tel. 00390686388989
fax. 00390686320635                
generalat.csse@mclink.it                            
http://www.selzbietanki.com

Adres do wysyłania artykułów i zdjęć na strony:
asumptabalcerzak@gmail.com 

STRONY ELŻBIETAŃSKIE NA ŚWIECIE